A Saga do Alistamento Militar

Jovem ao completar 18 anos, aliste-se no exército, marinha ou aeronáutica.

Você não tem escolha.

Acho que se tem uma experiência em comum que conecta os brasileiros de sexo masculino é o alistamento militar. Todo mundo tem uma história pra contar, seja ela sem graça ou sofrida. E eu to aqui pra contar a minha história.

Tudo começa no ano de 2010. Ano esse que eu completaria 18 anos e entraria na maioridade para enfim começar meu descenso até a velhice. E junto com a possibilidade de comprar álcool (nada que eu já não pudesse fazer antes caso assim desejasse), ver pornografia (nada que eu já não pudesse fazer antes) e entrar em estabelecimentos proibidos pra menores (IDs falsas estão por ai) vem as responsabilidades. E a mais imediata delas é o alistamento militar obrigatório.

Basicamente o que deve ser feito no início é procurar sua junta militar da região e ir lá durante o período de alistamento. E foi aí que eu cometi o maior erro de todos que possibilitou toda essa saga.

Pouco tempo depois do início desse período, dois amigos que também deveriam se alistar resolveram marcar pra ir no respectivo local. De manhãzinha pra não pegar fila… e eu não acordei. Fodi o planejamento de ambos (Foi mal galera!). Mas nisso minha mãe me avisa ter uma conhecida que fazia esse trabalho. “Opa, não enfrentarei fila”, penso eu. Entretanto isso era feito em outra junta militar, então enquanto todos meus amigos faziam o alistamento em A, lá fui eu em B. Foi nessa minha tentativa de ser esperto que me fodi. Fui mandado pra um quartel diferente do de quase todos meus amigos e conhecidos.

Se qualquer um desses amigos resolvesse fazer um post com esse mesmo tema, ele poderia ser escrito assim:

Então, a gente foi lá e ficou numa fila. Perguntaram quem queria ou não servir e eu falei que não. Falaram que a gente tava liberado e deveria pegar o certificado de dispensa na data tal.

Fiz a escolha errada.

Mas até então eu ainda estava esperançoso. Só por meu local ser diferente não indica muita coisa. Eu faria o que deveria fazer e logo estaria fora dali. Obviamente não foi bem assim.

05/07/10

Estou bem mais acostumado a ir dormir às 5 da manhã do que acordar, então é uma sensação esquisita levantar essa hora. Sair de casa e ver o movimento na rua mesmo ainda na escuridão é esquisito. Mas logo o sol nasce e as coisas ficam mais do meu costume. E foi com o sol nascendo que eu me vi enfileirado com outros conscritos na entrada. Não é muito agradável ficar horas em pé no sol mas eu não tinha nenhuma outra opção. A expectativa é que é bem pior que o cansaço.

Depois de esperar um certo tempo nós enfim entramos no quartel, e damos de encontro com outro grupo que já tava esperando lá. E qual não é minha surpresa quando percebo que tem uma celebridade/pessoa pública/alguem que tem mais dinheiro do que eu na mesma situação que eu… ou quase.

coutinhobolado

Philippe Coutinho, que na época ainda jogava pelo Vasco mesmo já estando vendido pra Internazionale de Milão, tava lá junto do empresário. Camisa polo da lacoste e eu não lembro o que ele tava vestindo além disso, mas o fato é que era uma presença destoante do resto da galera. Ainda assim, acho que pra disfarçar um pouco, ele fez parte da fila formada, junto de todos.

Um tempo e alguns autógrafos/fotos com oficiais depois, chega a minha vez de fazer os exames médicos. Diferente do que eu pensava o esquema não era tão escroto (literalmente?) quanto diziam. Vários boxes separavam os diversos conscritos a fazer os exames, então ao menos eu não teria que ver ninguem pelado. Após eu pegar um ventinho por um tempo aparece o médico. Ele pedia pra eu fazer certas coisas que na hora eu não me esforcei pra entender o objetivo, mas agora eu penso; segurar o meu próprio saco e assoprar enquanto prendo o ar usando a parte de trás da outra mão – Nada de anormal aconteceu e então eu fui avaliado positivamente. Mas o que aconteceria se o exame desse errado? Seria uma surpresa e tanto.

Já vestido me dirijo ao próximo teste. Um treco pra medir minha força, com um formato que lembrava bastante os explosivos do Coiote no desenho do Papa-Léguas.

Coyote

Eu fui puxar o negócio esperando uma facilidade que não foi correspondida. A manivela?alavanca?guidon? quase não saiu do lugar e o cara que tava averiguando o exame disse que já tava bom. Não me preocupei em ver o meu resultado.

E finalmente no último exame, me encontrei com uma Tabela de Snellen.

Snellen

Fiquei atrás da marcação de distancia mínima que tava no chão, tapei um olho li a linha desejada com absurda facilidade, tapei o outro e li a outra linha pedida com ainda bastante tranquilidade. Aí sou avisado que li a linha errada. Eu li a linha abaixo da que foi pedida. “Po, tu leu a linha errada, mas assim é até melhor, tá bom então.”. Eu sou um fracasso em tantas áreas da minha vida, por que ser excessivamente bom logo quando isso não me é nada vantajoso?

Depois disso eu fiquei horas e horas esperando o resto das pessoas que ainda faziam os exames, e depois ainda esperei mais pra ter meu CAM devolvido e a grande notícia:

“Será necessário voltar amanhã para completar os testes.”

E vai ser necessário dividir esse texto em partes também. Até o próximo post com a continuação disso tudo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Vida e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para A Saga do Alistamento Militar

  1. leonardoneen disse:

    O que significa”CAM”?

    • Eric disse:

      “Certificado de Alistamento Militar”. É o documento que tu recebe ao fazer alistamento e que irá usar pra todo processo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s